quarta-feira, 23 de outubro de 2013

Olho por olho

Se eles têm 
Tanques e canhões,
Nós temos
Lápis, papel e violões.

Eliano Silva.

terça-feira, 15 de outubro de 2013

Amanhecer

I
O sol surge no céu
E aos poucos desperta a população!
Sou um observador da divina criação de Deus
A estrela solar em sua imensidão.

II
Não surjas, ó sol!
Se a vida não for valer a pena
Se seremos corrompidos
pelos velhos comodismos
Se seremos ou não,
somente seres aparentemente vivos.

III
Sou poeta de primeira viagem
E por isso o sol me impulsiona
Mas sei que o que estou a escrever
Não ti decepcionas
Pois o que falo é verdadeiro
É beleza,

É a vida com que sonhas!

Júnior Fontes, poeta aspirante da cidade de Luis Gomes - RN.

sábado, 12 de outubro de 2013

Meio a desejos resignados vivemos.
Agregamos. Ou não?
Mundo incolor, cheio de cores, mas incolor.
Nossos olhos não veem, ou não.
Nossa ignorância vivida, intensa, supera nossa póstuma inteligência mascarada.
A cada passo inseguro nos seguramos naquilo que nos atrai,
Mesmo que seja mentira.
Mesmo assim, nos mascaramos naquilo que nos agrada, às vezes.
Mascaramos nossas personalidades no que queremos parecer,
Mas, nem sempre sendo quem realmente somos,
Ou quem queremos ser.
Mesmo assim, resignados agregamos tudo que possuímos,
Em busca de verdades, resignados, agregamos o que aprendemos
E quando tudo está em mãos, nos decepcionamos, às vezes,
Com a simplicidade e a "dureza" da realidade.
Ou seremos nós inflexíveis?



Renato Arcanael.